Ansiedade

O que é Ansiedade?
13/01/2015 Raphael Campos

ansiedadeEste é um post que trata de “assunto Kardiaco” – um assunto que diz respeito ao coração.

Vamos falar sobre um dos piores males da atualidade: Ansiedade.

Este artigo não tens fins científicos mas tem como somente um caráter informativo. Pincelando os assuntos periféricos que o tema envolve, vamos refletir um pouco.

1. O que é ansiedade?

É uma reação normal diante de situações que podem provocar medo, dúvida ou expectativa. Ela funciona como um sinal que nos prepara para enfrentarmos um desafio.

Já a ansiedade “doentia” – Transtorno da ansiedade generalizada (TAG), –  segundo o manual de classificação de doenças mentais (DSM.IV), é um distúrbio caracterizado pela “preocupação excessiva ou expectativa apreensiva”, persistente e de difícil controle, que perdura por seis meses no mínimo.

2. Entendendo o mecanismo da ansiedade

O sintoma é gerada através de uma tentativa ineficaz de controle afim de evitar uma possível dor.
Funciona da seguinte forma: tentamos (de forma inconsciente) controlar o mundo a nossa volta. Mas esse mundo é feito de eventos/ situações incontroláveis. Então percebo que não consigo evitar/ mudar esses eventos e isso gera frustração. Logo, quanto mais tento controlar, mais me frustro. O resultado desse ciclo é a ansiedade.

Mecanismo da Ansiedade

Irritabilidade, aperto no peito, insônia, confusão, pensamento acelerado demais, palpitação, gastrite, tensão muscular, dificuldade de viver o momento, tensão muscular e estresse.

3. É possível eliminar a ansiedade?

Todos sentem um certo nível de ansiedade – o que é completamente normal – é comum a todo ser-humano. Uma certa medida de ansiedade gera movimento. O problema é quando esse nível está acima da linha da normalidade e acaba descontando no nosso corpo essa carga.  Então não é possível “eliminar” completamente a ansiedade da nossa vida.

O que é possível fazer é aprender a dosá-la. Isso pode ser feito de 3 maneiras:
A. Percepção/ auto-monitoração. É você estar atento ao seu interior e “policiar” às alterações no humor devido a tudo aquilo que lhe afeta de forma significativa. Pode ser através de uma situação externa (notícia, problema, discussão familiar, etc.) ou até mesmo interna (pensamento, idéia, sentimento). O primeiro passo é treinar esse músculo da percepção. Você percebe ao menos quando algo lhe afeta? Consegue notar o que lhe tira a paz?

B. Trazer à consciência aquilo que você está (inconscientemente) tentando controlar. Isso quebra a dinâmica da ansiedade.

C. Praticar as maneiras acima de diariamente. Isso lhe dará um resultado perene e constante.

Dicas práticas para diminuir o nível de ansiedade

1. Procurar não estar no controle de todas as coisas. Você pode e deve planejar a sua agenda, mas esteja aberto à mudanças. Lembre-se que este sintoma é gerado por meio da tentativa paranóica de controle. Se não posso controlar, me frustro. Ao me frustrar, tento assumir controle novamente. Esse mecanismo gasta energia, desencadeando este sintoma.

2. Conscientizar-se de que só Deus sabe o nosso amanhã, portanto, deve-se viver cada dia de cada vez.

3. Tirar alguns minutos diários para se “internalizar“. Desligar-se do mundo tecnológico no qual vivemos é uma ferramenta valiosíssima e imprescindível para quem quer qualidade de vida.

Dados interessantes

– 12% da população brasileira sofre deste sintoma, ou seja, 24 milhões de brasileiros têm ansiedade patológica (não são meramente ansiosos).
– São Paulo é a cidade que mais sofre de transtornos mentais no Brasil.
– Mulheres sofrem mais de deste sintoma do que homens.
– Faixa etária mais atingida pela ansiedade: 35 a 59 anos.

Creative Director da Agência Kardia, idealizador do Projeto Musiquês, Raphael é casado (e apaixonadíssimo por sua esposa), é pai de 2 e ama café (aquele barato, passadinho mesmo).

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quinze + 12 =