A Prisão do Circo de Pulgas? (por Marcos Ton)

A Prisão do Circo de Pulgas? (por Marcos Ton)
01/06/2016 Marcos Ton

Marcos Ton prisao-do-circo-das-pulgasEu acredito que cada ser humano possui talentos ilimitados e totalmente desenvolvíveis, creio que todos nós podemos SER e FAZER mais do que normalmente imaginamos, eu tenho convicções de que cada um de nós pode diariamente ser sempre a “melhor versão de si mesmo”.

Mas o que isto tem a ver com o título deste artigo? O que isto tem a ver com assunto: talento e potencial humano? Vou explicar.

Para aqueles que nunca ouviram falar em Circo de Pulgas, algo no mínimo um pouco bizarro, ele teve as suas primeiras aparições na Europa dos séculos XVIII e XIX como um micro-espetáculo circense que atraia multidões, cujo processo de adestramento das pulgas em questão – segundo as muitas lendas e boatos – usavam o seguinte processo de condicionamento e adestramento:

1) APRISIONAMENTO: Primeiro algumas pulgas eram colocadas dentro de um pequeno recipiente, ou seja, em um pequeno pote de vidro com uma tampa;

2) IMPOSIÇÃO DE LIMITES: Logo após, durante algum tempo dentro do recipiente, as pulgas pulavam incansavelmente até o limite da altura da tampa na tentativa desesperada de escapar;

3) CONVIVÊNCIA E ACEITAÇÃO DOS LIMITES: Pouco tempo depois (uma média de 7 dias), as pulgas desistiam de tentar pular para ultrapassar o limite da altura da tampa do recipiente, passando a respeitar este limite e nunca mais vindo a pular para fora do recipiente ou acima da altura deste pequeno pote de vidro.

Mas novamente, o que isto tem a ver com você, com o seu processo de autodesenvolvimento, com o seu potencial e talento que são praticamente ilimitados? Digo que muita coisa!

Vamos primeiro nos recordar como funciona, infelizmente ainda, o atual processo de educação mundial seja este pelos meios formais ou informais e como isto muitas vezes contribui para nos colocar dentro de um invisível “pote de vidro”.

Pense em como as muitas das regras sem fundamento impostas e também os vários NÃOS incansavelmente ouvidos ao longo do nosso processo de crescimento e desenvolvimento, acabaram por se transformar na “tampa do pote de vidro” que limitou muitas mentes e abafou muito do potencial ilimitado que nasceu com cada um de nós!

Já está mais do que comprovado que muitas situações vividas, principalmente aquelas negativas ou frustrantes ao longo da vida, podem se tornar em verdadeiros e particulares “Circos de Pulga” pessoais, capazes de aprisionar o nosso potencial ilimitado e reduzir as nossas contribuições neste mundo a “pequenos e medíocres saltos”- infinitamente menores daqueles que realmente podemos dar.

A boa notícia nisto tudo é que nós podemos “reformular, renovar e reconstruir” os nossos atuais padrões mentais, a nossa visão de mundo e consequentemente somos capazes de modificar as nossas atitudes e comportamentos fazendo coisas do tipo:

Definindo o que você quer!!!

O primeiro passo sempre é definir o que queremos com clareza e de forma específica. O que você quer alcançar dentro dos próximos 12 meses? Qual é a sua meta importante, ou pelo menos quais são as suas 3 metas relevantes a serem conquistadas até o final deste ano?

Tomando decisões, agindo!!!

Pare de somente pensar e falar (ou reclamar e se vitimizar) e avance para uma ação concreta, diligente e objetiva: Quais ações você precisa executar agora e daqui em diante com diligência e constância e que vão levá-lo mais próximo de seus objetivos e metas importantes!

Avaliando os resultados e fazendo ajustes e correções sempre que necessário!!!

Depois de saber o que se quer, de executar ações em direção aos objetivos e metas definidas como importantes, é hora de monitorar os resultados e avaliar se estamos tendo progressos, nem que sejam mínimos.

Destaco neste ponto que é muito importante descobrir (e não nos enganarmos) se estamos envolvidos com Atividade ou Ações.

Eu descobri e aprendi que as ATIVIDADES tem muito mais a ver com movimentos que não mudam nada, que não transformam o meio em que você vive, atividades representam apenas se movimentar e muitas vezes é algo como “andar em círculos”. Já as AÇÕES são movimentos assertivos e que modificam, mudam, transformam, acrescentam, somam e agregam ao resultado que desejamos atingir.

Neste momento avalie se a rota definida precisa ser de alguma forma calibrada ou reajustada e novamente, retome a ação com foco e determinação! Quais foram os resultados atingidos? O que eu posso melhorar? O que eu ainda preciso fazer? Quais ajustes eu preciso fazer para continuar a prosseguir?

Eu quero concluir os insights e contribuição deste artigo fazendo um pedido simples a você: acredite em alguns pontos que destaco abaixo e que podem mudar as nossas vidas!

  1. Todos nós somos livres para viver todo o nosso potencial e usar toda a riqueza de recursos internos que temos, ninguém está e nem pode ficar preso aos “potes de vidros” sociais impostos pelo meio;
  2. Todos nós podemos dar “saltos maiores” daqueles que já demos até hoje, assim não permita que as “tampas” impostas pelo meio limitem o quanto você pode fazer, e saiba, você sempre pode fazer mais!
  3. Todos nós precisamos e podemos desenvolver a resiliêncianecessária para romper as “barreiras” que nos cercam e que nos impedem de dar a contribuição que podemos dar as nossas vidas, família, trabalho e sociedade.

Siga os conselhos acima e quebre o “pote de vidro” e rompa com a “tampa” que tem impedido você de ser a melhor “versão de você” mesmo, receba meu grande abraço e tenha um excelente mês!

Post original aqui.

Consultor, Trainer, Business Coach e Action Learning Coach.